quarta-feira, 17 de junho de 2015

quarta-feira, 17 de junho de 2015
9073871566239316397
Vírgula: sempre ela!
http://www.ulige.com.br/2015/06/virgula-sempre-ela.html
Aprenda a usar a vírgula corretamente no novo post da coluna Discursiva
Sim, bato de novo na mesma tecla: a vírgula é muito importante! E, pelo visto, é um dos casos que mais apresenta problemas para quem escreve. Principalmente a vírgula do vocativo.

De acordo com o Houaiss, vocativo é a palavra ou expressão para chamar ou interpelar uma pessoa. Exemplos: Fulano, quero falar com você. Ó de casa, posso entrar?

O vocativo pode estar no início, no meio ou no fim da oração: Querida, lembre-se de que a vida é feita de desafios. / Lembre-se, querida, de que a vida é feita de desafios. / Lembre-se que a vida é feita de desafios, querida.

O vocativo fica obrigatoriamente separado dos outros termos por vírgula. E há uma razão para essa vírgula: sem ela, o significado pode ser alterado.

Observe:

1. Tráfico de pessoas.




A dona Carla tentou vender umas roupinhas no brechó, mas acabou vendendo meninas mesmo – e, para facilitar, ainda aceitava cartão.


2. Blasfêmia!



O herege acima cometeu o mesmo erro da dona Carla – faltou a vírgula para separar o vocativo [Jesus] – e, no mínimo, vai ser caçado pela bancada evangélica.


3. Talvez seja a solução.



Não está fácil para ninguém! E, afinal, cada um bebe o que quer, não é mesmo?


4. Gente direta é outra coisa!



Não sei ao certo qual era a intenção dessa pessoa... ¯\_(ツ)_/¯


Fonte: BuzzFeed



https://www.blogger.com/profile/14657032355176316743
ulige
2015-06-17T13:30:00-03:00
Discursiva Nathália Lippi

Nenhum comentário:

Postar um comentário