terça-feira, 22 de setembro de 2015

terça-feira, 22 de setembro de 2015
8640368220094439831
Peru: culinária vegetariana
http://www.ulige.com.br/2015/09/peru-culinaria-vegetariana.html
Conheça a versátil e saborosa culinária peruana
Uma das perguntas que me fiz quando comprei minha passagem para Machu Picchu – sendo vegetariana, é claro – foi “o que vou comer?”. Questão recorrente a todo viajante vegetariano, ao contrário do que deveria, não fui atrás da resposta, preferi dar a "cara a tapa", ver no que ia dar, pensar que salada é salada em qualquer lugar do mundo e que certamente não morreria de fome por não comer um arroz com feijão decentemente.

Para minha surpresa, embora até meio óbvia se analisar as circunstâncias dos principais viajantes a essa incrível trip, comer em Cusco/Machu Picchu foi ridiculamente fácil e inesperadamente saboroso.

Para começar, fiquei em um hostel – o que recomendo a todos –, e lá o “desayuno” (café da manhã) era rico e completo: pão cusquenho com “manteguilla” ou geleia de morango; ovos mexidos, os chamados “huevos revueltos” (cabe ressaltar que ainda sou ovolactovegetariana – com grande tendência ao veganismo – e, portanto, é zilhões de vezes mais “fácil” comer para mim – apesar do peso na consciência – do que para um verdadeiro vegetariano); café preto; suco de pêssego; e, de quebra, um chazinho de coca, claro!



coca seca para chá


Caminhando pelas vielas de Cusco, logo no primeiro dia de viagem, faminta, após um voo estressante, me deparei com o letreiro “Temos comida vegetariana”. Era a entrada do restaurante Nuna Raymi (Calle Triunfo, 356, www.nunaraymicusco.com). Com sua “cocina peruna y creativa”, logo de cara me apaixonei pelo “piqueo” (aperitivo) de ‘Tequeños com Queso’, uma espécie de pastelzinho com queijo andino derretido servido com guacamole. Como prato principal, pedi um ‘Tabouleh de Quinua y Queso con Vinagreta de Coca’, uma interpretação cusquenha de tabule feito com quinoa. A quinoa e a coca são a base de muitos pratos peruanos.



‘Tequeños com Queso y Guacamole’



‘Tabouleh de Quinua y Queso com Vinegrata de Coca’


No dia seguinte, após uma longa caminhada pela belíssima cidade de Cusco, e após uma busca desesperada no Trip Advisor por onde comer, encontrei o Green Point (Plaza San Francisco, 310, www.greenpointveganrestaurant.com), eleito meu favorito em toda a viagem. Nesse simples restaurante, mas incrivelmente apetitoso e supreendentemente barato, é possível pedir o “menú del día”, que serve vários tipos de salada à vontade, sopa como aperitivo, prato principal, sobremesa e suco, tudo por 12 nuevos soles (por volta de 12 reais, de acordo com a cotação da época, julho de 2015). A variedade e complexidade dos pratos, que nesse restaurante são completamente veganos, são impressionantes, tudo muito delicioso.



‘Menú del día’ do restaurante vegano Green Point


No meu último dia de estadia em Cusco, passei novamente no Green Point, porém à noite e em outra loja da franquia (Calle Carmen Bajo, 235). Agora pude apreciar um panini de tomate com cogumelos e batatas rústicas fritas acompanhadas de maionese, catchup e mostarda caseiros (18 nuevos soles). Mas as opções são muitas, uma mais apetitosa que a outra.



Panini vegano do restaurante Green Point


Já em Machu Picchu não tinha muitas opções. No entanto, em uma lanchonete – caríssima, diga-se de passagem –, em frente ao parque arqueológico, havia um enorme “lanche vegetariano”, recheado com berinjela, abobrinha e tomate salteados, um molho que sinceramente não sei do que é feito e um pão cusquenho típico (26 nuevos soles). Foi a salvação após uma longa trilha a Intipunku (Sun Gate – leia sobre aqui ).

Em Águas Calientes, contudo, há muitas opções, principalmente pizzas. No restaurante Coricancha você pode apreciar uma deliciosa pizza de vegetais feita na hora enquanto toma uma Cusqueña gelada de frente para a praça principal de Machu Picchu Pueblo.



Pizza de vegetais do restaurante Corincancha



Cerveja ‘Cusqueña’


De volta a Cusco, fui conferir o restaurante vegan gourmet Shaman (Calle Santa Catalina Ancha, 366-B, www.shamancenter.org). Lá também é servido o ‘menú del día’ e o ambiente é rico em cores, cristais, monumentos e figuras incas, além de pôsteres que visam o veganismo. A comida é apetitosa e tem um quê de macrobiótica.



‘Menú del día’ do restaurante Shaman: Hambúrguer de vegetais, arroz integral com quinoa, cozido de grão-de-bico com batatas, brotos de alfafa e abacate


À noite, encontrei o charmoso Mr. Soup (Calle Saphy, 448, www.facebook.com/mr.soupcusco). Com um menu variado e um atendimento gentil, o restaurante agrada a todos os gostos. Encarei uma enorme – enorme mesmo – tigela de sopa de lentilhas com alho-poró que estava excelente. Uma boa pedida para as noites frias de Cusco.



Mr. Soup


Minha experiência culinária no Peru foi incrível, pude desfrutar de comidas típicas livres de crueldade animal – algumas nem tanto –, e meu medo de “passar fome” se tornou apenas um devaneio, fruto certamente de experiências frustradas em outros países.




https://www.blogger.com/profile/14657032355176316743
ulige
2015-09-22T13:30:00-03:00
Cusco Nathália Lippi Viagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário