segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015
18414296807304820
Identidade São Paulo - Logotipos criados para os bairros paulistanos
http://www.ulige.com.br/2015/12/identidade-sao-paulo-logotipos-criados.html
Cada bairro de São Paulo tem sua identidade própria e um logotipo só seu, confira!
Pedro Campos é o idealizador do projeto "Identidade São Paulo", criando logotipo para os mais de 400 bairros paulistanos com sua esposa, jornalista e fotógrafa Stella Curzio, que o ajudou pesquisando cada bairro para resgatar sua identidade e assim fazer com que cada logotipo transpareça o que o bairro representa.
Pedro diz que o projeto surgiu da necessidade de fazer algo autoral e que contribuísse para algo maior. Além da pesquisa de campo feita por Stella, eles também pesquisaram materiais em livros antigos, artigos, internet e em dicionários da língua tupipara encontrar o significado dos nomes.

Veja abaixo alguns logotipos e sua explicação:


O logotipo
O bairro é um dos mais antigos e famosos de São Paulo e, foi representado no logotipo conforme seu nome.

História
Muitos acreditam que na região havia uma grande quantidade de pinheiros e, por isso, o bairro herdou este nome. Sabe-se que, em 1562, portugueses e índios catequizados resistiram a um forte ataque realizado por índios inimigos à Vila de São Paulo de Piratininga. Após o conflito, a construção do forte de Embuaçava, fez com que a população nativa fosse movida para um local conhecido como Nossa Senhora dos Pinheiros. Um fato histórico é que, em 1584, uma multa de 500 réis era aplicada para quem cortasse alguma árvore do bosque dos Pinheiros da Rua São José (atual Pais Leme).




O logotipo
O logotipo tem como principal simbologia uma perdiz. Dois símbolos importantes também são representados: O sino da Independência, atualmente localizado na igreja de São Geraldo e, o Pátio da Cruz, da tradicional instituição de ensino superior, PUC.

História
O vendedor de garapa Joaquim Alves e sua enteada, Teresa de Jesus Assis, foram os grandes responsáveis pelo nome do bairro que conhecemos hoje. Por volta de 1850, criavam em sua propriedade, grandes quantidades da ave perdizes, tornando-se ponto de referência geográfica, conhecida popularmente como “o quintal das perdizes”.
A exemplo de muitos bairros paulistanos, Perdizes proveio de propriedades rurais, sendo uma delas a Sesmaria do Pacaembu.
Devido ao crescimento da cidade, as características rurais da área desapareceram pelo loteamento e venda das terras e, em 1897, Perdizes entrou na planta oficial da cidade fazendo com que nas primeiras décadas do século XX, o crescimento imobiliário chegasse ao bairro.
Em 1900, no Largo das Perdizes, existia uma Capela, muito pequena e pobre, dedicada à nossa Senhora da Conceição e Santa Cruz. Nessa Capela funcionou a primeira Matriz da nova Paróquia de São Geraldo, hoje Igreja de São Geraldo, repleta de muitos tesouros arquitetônicos e artísticos, que apresenta como o seu maior destaque, o Sino que está protegido em seu Campanário, sino esse que anunciou no dia Sete de Setembro de 1822, a Independência do Brasil, às margens do Ipiranga pelo príncipe D. Pedro.‪
O conselho de defesa do patrimônio histórico tombou alguns edifícios do bairro, como o histórico Sino da Independência do Brasil.


O logotipo
O logotipo representa um tatu, o padrão em formas circulares de sua carapaça, lembra a viticultura.

História
Tatuapé significa “caminho dos tatus”. A história do bairro começa em 1560, ano em que Brás Cubas – fundador de Santos – subiu a Serra do Mar em busca de ouro.
Acompanhado por Luís Martins e todos os seus criados, eles chegaram ao planalto e se depararam com o ribeirão Tatu-apé, seguiram seu curso até a foz e encontraram o rio Grande (hoje, Tietê), e ali se instalaram.
O bairro foi fundado em 1919 e, no fim do século 19, o italiano Benedito Marengo instalou uma grande chácara naquelas terras, tornando a região pioneira na prática da viticultura – que é a ciência que estuda a produção da uva.
Esta atividade foi a principal fonte de economia do bairro e atingiu seu ponto de elevação com a instalação das vinícolas de outras famílias de imigrantes italianos, cujos membros, hoje, emprestam seus nomes a algumas ruas do bairro.
Atualmente, o Tatuapé é um dos distritos mais valorizados da cidade de São Paulo, considerado um bairro com vida própria, por possuir uma riquíssima variedade de comércio de alto nível.
O bairro é conhecido ainda pela intensa vida noturna e cultural, com teatros de alto padrão e a Casa do Tatuapé, uma das 13 construções espalhadas pela cidade que compõem o museu da cidade de São Paulo. Contruída no fim do século 17, em taipa de pilão e tombada pelo Departamento do patrimonio histórico, passou por duas grandes obras de restauro e preservação, e em 1992, foi reaberta a população abrigando atividades socio-culturais, além da exposição de mobiliário e objetos da época encontrados em São Paulo durante pesquisas arqueológicas.


O logotipo
O logotipo contém o tradicional limão-tahiti que tornou-se popular no Brasil durante a chamada “gripe espanhola” em 1918 e o limão bravo,de forte tom alaranjado também conhecido como limão-cravo, limão-rosa e limão-galego.

História
Um pé de limão bravo.
Foi o que encontraram os antigos colonos da Freguesia do Ó, primeiros a chegarem na região onde hoje é o bairro do Limão. Verdade ou mito, o nome foi oficializado.
O bairro foi fundado em 1913 e em meados do século 19, a região que era ocupada por sítio e chácaras começou a ser loteada, porém, foi apenas na década de 30, que se intensificou a instalação das primeiras famílias no bairro.
Em 1939 foi criada a primeira paroquia de Santo Antonio do Limão e em 1935 chegou a primeira linha de ônibus no bairro.
Vizinho de importantes bairros, como a Lapa, Barra Funda, Freguesia do Ó, Pompéia e Casa Verde.


Para ver os outros logotipos e acompanhar a produção dos novos, acesse: Identidade SP

https://www.blogger.com/profile/14657032355176316743
ulige
2015-12-07T13:30:00-02:00
Arte Curiosidade Ilustração Maiara Monteiro São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário