quarta-feira, 21 de setembro de 2016

quarta-feira, 21 de setembro de 2016
3269681933210586817
O plural desnecessário
http://www.ulige.com.br/2016/09/o-plural-desnecessario.html
Aquele que não acrescenta em nada nem faz sentido
Trata-se do plural que não acrescenta nada – e nem sentido faz. Geralmente, ocorre com palavras abstratas, como “vida”, “morte”, “presença”, “alma”. 

Por exemplo: “É melhor todo mundo ir cuidar de suas vidas”. Por que “suas vidas” se cada um só tem uma vida? Só se fôssemos gatos, que supostamente têm sete vidas. Caso contrário, e crenças religiosas à parte, só temos uma vida e, portanto, “é melhor todo mundo ir cuidar de sua vida”. 

O plural desnecessário também é bem comum com as parte do corpo: “Os sindicalistas balançaram as cabeças afirmativamente” – creio que só temos uma cabeça, certo? Portanto, deveria ser “Os sindicalistas balançaram a cabeça afirmativamente”. 

Até mesmo as palavras que já dão a ideia de plural sofrem com a pluralização desnecessária. Veja: “A solicitação das documentações será feita o mais breve possível”. “Documentação” já expressa a ideia de “conjunto”, ou seja, mais de um documento. Logo, não há por que pluralizar. 

Para se livrar do plural desnecessário, basta analisar se o plural acrescenta alguma coisa, se faz diferença. Se não faz, esqueça o plural. O texto ficará muito mais leve e melhor.


https://www.blogger.com/profile/14657032355176316743
ulige
2016-09-21T13:30:00-03:00
Discursiva Nathália Lippi

Nenhum comentário:

Postar um comentário